pesquisar   


Sexta-feira, 22 de Maio de 2009
Bike Trip

 Definitivamente sou adepta de "Bike Trips". Devia fazer mais.

Tudo começou há quase um ano, assim. Em Fevereiro/Março passados fui à holanda. E como sempre me disseram "na Holanda, sê Holandês", um dos dias foi precisamente dedicado à exploração de parte do país em cima da bicicleta, assim. Ontem, pela primeira vez na Alemanha, dei um uso mais intensivo à minha bela Arabella, rosa, roxa e ferrugem. E que belo que foi!

 

Pela Alemanha, como na Holanda, existem vários percursos demarcados para bicicletas. Percursos longos e com características específicas. O que percorri ontem, juntamente com alguns dos meus colegas erasmus, foi um dos percursos ao longo do rio Ilm, o que banha Weimar. O percurso chama-se, traduzindo "vale do Ilm".

ver mapa

 

Não é exactamente o que está assinalado no mapa, mas próximo, as localidades que atravessámos são essas. E a distância não será muito além dos 20 Km.

O programa era percorrer o Ilmtal entre Weimar e Kranichfeld e voltar de comboio.

O percurso é muito bonito. Atravessa aldeias, campos e floresta e leva-nos ao verdadeiro coração da Alemanha. Ontem, um coração em festa, o que tornou a viagem ainda mais divertida.

Cruzámo-nos com muitos grupos de pessoas a festejar o dia do Homem e parámos em duas festas. Numa delas estivemos uma hora. Festa muito peculiar, essa. Além da normal cerveja e dos homens havia também música e um estranho one-man-show. O anfitrião e protagonista do espectáculo era um senhor que podia muito bem ser português: baixinho, barba grisalha e bêbedo. A certa altura agarra uma guitarra, simulou que tocava e começou a cantar por cima de uma música alemão aparentemente muito popular. Depois, veste uma saia, põe uma peruca aos caracóis, semelhante à que os palhaços falsos do carnaval usam mas em louro, e canta por cima de uma qualquer música cantada por uma mulher, com voz aguda. Estranho e hilariante, mas rápido. Quando o senhor acabou o seu espectáculo seguimos o nosso caminho através de campos e florestas, novamente, sob ameaça de chuva, até Kranichfeld. Uma vez em Kranichfeld, a primeira preocupação foi encontrar um "Biergarten" (tasco com jardim interior=esplanada onde se pode beber cerveja e, eventualmente, comer). Fomos parar a um sítio, mais uma vez, muito peculiar. Quase hino ao Kitsch, diria eu. Guardanapos laranja com bolinhas, cortinas de renda na porta, renda e flores nas cortinas das janelas, cadeiras de bambu com almofadinhas a condizer com as cortinas na sala de jantar interior e toalhas de mesa com igual padrão. A senhora que servia à mesa e que julgo que era também a dona do sítio, envergava um vestido de padrão igualmente floral com uma fita rosa, num estilo alemao-antigo. Cenário fascinante mas má cerveja, que nos mandou de volta para Weimar.

Foi uma bela Bike Trip. E quero fazer mais coisas destas!



publicado por Undómiel às 16:06
link do post | comentar | ver comentários (3) | adicionar aos favoritos

Man's Day

A Alemanha é um país um quanto machista.

Começando na língua: a palavra para "menina" não é do sexo feminino mas sem neutra e a palavra para rapaz é masculina. E depois nas tradições.

Ontem foi feriado nacional. Religioso. Assinalou-se o dia em que Jesus Cristo subiu aos céus. Mas a verdadeira celebração era outra. Celebrou-se, à boa maneira masculina e alemã, o dia do Homem.

A boa maneira masculina e alemã de celebrar o dia do homem é juntar os amigos e sair para beber cerveja até à exaustão. Grupos de jovens reúnem-se com carros de mão cheios de bebidas e vão de aldeia em aldeia fazer a festa. Às 10h já se bebe por aqui. E aos 13 anos, aparentemente, também. A alternativa a esta forma de festejo é reunir os amigos , homens, em festas pontuais onde o ingrediente principal é a cerveja e passar lá o dia (um pouco à moda das festas da terrinha em Portugal, mas sem a música pimba). Quando chega a hora do jantar regressa-se a casa. E durante o regresso é preciso dar provas de masculinidade e de bebedeira. Isso passa, por vezes, por dar porrada em pessoas aleatórias mas igualmente bêbedas e do sexo masculino ou, então, puxar o travão de emergência do comboio que está cheio e obrigar a uma paragem de uns quantos minutos. Vale que não se metem com estrangeiros ou, se metem, são simpáticos e falam um alemão simples para os estrangeiros perceberem e pensarem que os alemães são simpáticos.

 

E afinal, acabei de descobrir, oficialmente é dia do pai!



publicado por Undómiel às 15:51
link do post | comentar | adicionar aos favoritos