pesquisar   


Sexta-feira, 22 de Maio de 2009
Bike Trip

 Definitivamente sou adepta de "Bike Trips". Devia fazer mais.

Tudo começou há quase um ano, assim. Em Fevereiro/Março passados fui à holanda. E como sempre me disseram "na Holanda, sê Holandês", um dos dias foi precisamente dedicado à exploração de parte do país em cima da bicicleta, assim. Ontem, pela primeira vez na Alemanha, dei um uso mais intensivo à minha bela Arabella, rosa, roxa e ferrugem. E que belo que foi!

 

Pela Alemanha, como na Holanda, existem vários percursos demarcados para bicicletas. Percursos longos e com características específicas. O que percorri ontem, juntamente com alguns dos meus colegas erasmus, foi um dos percursos ao longo do rio Ilm, o que banha Weimar. O percurso chama-se, traduzindo "vale do Ilm".

ver mapa

 

Não é exactamente o que está assinalado no mapa, mas próximo, as localidades que atravessámos são essas. E a distância não será muito além dos 20 Km.

O programa era percorrer o Ilmtal entre Weimar e Kranichfeld e voltar de comboio.

O percurso é muito bonito. Atravessa aldeias, campos e floresta e leva-nos ao verdadeiro coração da Alemanha. Ontem, um coração em festa, o que tornou a viagem ainda mais divertida.

Cruzámo-nos com muitos grupos de pessoas a festejar o dia do Homem e parámos em duas festas. Numa delas estivemos uma hora. Festa muito peculiar, essa. Além da normal cerveja e dos homens havia também música e um estranho one-man-show. O anfitrião e protagonista do espectáculo era um senhor que podia muito bem ser português: baixinho, barba grisalha e bêbedo. A certa altura agarra uma guitarra, simulou que tocava e começou a cantar por cima de uma música alemão aparentemente muito popular. Depois, veste uma saia, põe uma peruca aos caracóis, semelhante à que os palhaços falsos do carnaval usam mas em louro, e canta por cima de uma qualquer música cantada por uma mulher, com voz aguda. Estranho e hilariante, mas rápido. Quando o senhor acabou o seu espectáculo seguimos o nosso caminho através de campos e florestas, novamente, sob ameaça de chuva, até Kranichfeld. Uma vez em Kranichfeld, a primeira preocupação foi encontrar um "Biergarten" (tasco com jardim interior=esplanada onde se pode beber cerveja e, eventualmente, comer). Fomos parar a um sítio, mais uma vez, muito peculiar. Quase hino ao Kitsch, diria eu. Guardanapos laranja com bolinhas, cortinas de renda na porta, renda e flores nas cortinas das janelas, cadeiras de bambu com almofadinhas a condizer com as cortinas na sala de jantar interior e toalhas de mesa com igual padrão. A senhora que servia à mesa e que julgo que era também a dona do sítio, envergava um vestido de padrão igualmente floral com uma fita rosa, num estilo alemao-antigo. Cenário fascinante mas má cerveja, que nos mandou de volta para Weimar.

Foi uma bela Bike Trip. E quero fazer mais coisas destas!



publicado por Undómiel às 16:06
link do post | comentar | ver comentários (3) | adicionar aos favoritos

Terça-feira, 10 de Março de 2009
A grande cruzada - parte 6

O dia da viagem.

 

Acordar. Acabar mala. Preparar o farnel (que acabei por consumir também nos dias seguintes). Comboio até Utrecht. Obrigada Markl pela boleia, companhia e tecto.

Utrecht. Mudar de linha (o que é engraçado qd os avisos são em holandês e não se sabe holandês). Comboio até Frankfurt.

iPod não funciona. 4 horas de viagem sem iPod. Comboio muito fixe. Vontade de conhecer quase todas as cidades em que o comboio parou. Frankfurt. Fotografias à estação. Comboio até Weimar. Demasiadas horas sem iPod ou computador. O senhor ao lado cheira mal e bebe cerveja no comboio. Mudar de lugar (para o lugar que antes era ocupado por uma freira. Espero que não seja uma espécie de prenúncio.). Pôr-do-sol em Weimar. Pousada (a mais próxima da estação). Jantar sandes. Dormir.

Dia 0, portanto. Pouco para contar. 



publicado por Undómiel às 18:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

Terça-feira, 3 de Março de 2009
A grande cruzada - parte 5

Grande parte do dia está a ser passada em frente ao computador. Tenho falado, desde que o dia comecou com algumas das pessoas de quem tenho muitas saudades, actuazado o blog e preparado a minha partida para a Alemanha, amanha.

Já refiz a mala, que tinha o peso mal distribuido. Já fiz as compras para amanha ter que comer. Falta ainda actualizar e carregar o iPod. Espera-me uma viagem de 6/7h. Já tenho um mapa de Duisland (Alemanha em holandês).

Daqui a pouco vou para Utrecht. De comboio. A bicicleta realmente faz falta.

[continuacao]

O dia foi pouco movimentado.

Entrar no comboio para Utrecht sem bilhete. Nao encontrei uma máquina que aceitasse moedas ou um cartao multibanco normal. Mas havia. Fui apanhada. Mas o senhor pica muito calmamente perguntou de onde vinha e para onde ia e disse para tirar bilhete no destino. Obviamente, nao tirei. Lol.

Utrecht. Perder-me dentro do gigante centro comercial que está ligado a estacao d comboios. Arranjar um pequeno mapa da cidade. Café. Jantar. Estacao. Casa. O tempo passou mesmo rapido. Deu para localizar uma série de museus que um dia visitarei já que desta vez passei por eles já depois de fecharem. Too bad. Sehr schlecht.

Monthy Pithon. Dormir.



publicado por Undómiel às 13:08
link do post | comentar | ver comentários (2) | adicionar aos favoritos

A grande cruzada - parte 2

Tem piada chamar a isto grande cruzada. Realmente, é uma espécie de grande busca que estou a fazer, com uma espécie de evangelização à mistura. Não sei bem o que é que procuro nem que credo espalho, mas conto em breve saber.

 

Almoco à moda 'dutch', ou seja, muito pouco substancial. Primeira vez com uma bicicleta holandesa, gigante. Gargalhadas. Baixar o banco. Pedalar de Maarsen até Utrecht. Utrecht, de bicicleta é o caos. Vias das bicicletas sao como as dos carros. Muito trânsito, muitas regras e verdadeira fiscalizacao, caos para estacionar bicicletas. Os carros nunca têm prioridade e nao podem ultrapassar bicicletas pla direita, caso nao haja vias especiais para elas.

Utrecht é uma cidade bonita. Mais bonita que Amsterdao. Mas o sábado nao e o dia certo para a explorar. Como as pessoas nao trabalham ao sabado, aproveitam para fazer as suas compras. É o caos no centro de Utrecht. A Universidade de Utrecht, que tem, plo que percebi, grande história e importancia tem a sua parte mais antiga espalhada plo centro da cidade e a mais nova fora da cidade. A parte antiga é muito bonita e todos os edificios tem algo que se lhe diga. Paragem num café. Cerveja boa. Prato tipicamente holandes: pao com um croquete gigante la dentro. Passeio pla cidade. Regresso a casa. Compras. Jantar à moda alema. Mighty Boosh. Dormir.



publicado por Undómiel às 11:35
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

A grande cruzada - parte 1

Perdoem-me, queridos leitores, mas acho que vou transformar este blog numa espécie de diário de bordo.

 

Comeco com a minha passagem pela Holanda pré-Alemanha, na tentativa de comecar a ambientar-me à lógica civilizada do verdadeiro primeiro mundo e ao alemão.

 

Levantar muito cedo. Viagem de carro até ao aeroporto do Porto. Espera, sozinha, depois de passar o raio-x, quando podia, afinal ter entrado mais tarde e agradecido convenientemente às maravilhosas pessoas que me fizeram companhia até àquele ponto. Aviao. Refeicao horrivel no aviao. Aeroporto de Schipol. Comboio até Amsterdaam centraal. Sair na estacao errada. Apanhar outro comboio. Amsterdaam centraal. 14,60€ de cacifo para guardar as toneladas de bagagem que me acompanhavam. Encontrar o David, que veio ter comigo e que me vai acolher e guiar nos próximos dias. Caminhar. Amsterdao está igual ao ano passado. De volta a Amsterdaam centraal para ir buscar a Konnie, americana que nos vai acompanhar durante o concerto de M.Ward. Caminhar. Caminhar. Procurar um café. Caminhar. Café engracado. Estar. Pagar muito por um café mau. Caminhar. Jantar por 7€. Barato. Fila do Paradiso. Entrar no Paradiso. O Paradiso é uma mistura de Teatro Sá da Bandeira com Mercado Negro e Razmatazz. Primeira parte do concerto de M. Ward feita for um rapaz holandes com uma voz engracada. M. Ward muito bom. Óptima recepcao, este concerto. Explorar o Paradiso (a sala de espectáculos). Apanhar o tram ate a estacao. Esperar, já com as malas, pelo comboio ate Maarsen, onde vou ficar. Comboio. Trocar de comboio em Breukelen. Chegar a Maarsen. 2 bicicletas. Vou a pé com a bagagem toda. Longo caminho. Dormir. Uff.



publicado por Undómiel às 11:21
link do post | comentar | adicionar aos favoritos